Imagem

 

Karatê e aikido são artes marciais japonesas.

À parte todas as outras diferenças entre essas duas artes, vou me apegar a uma específica: enquanto a prática do karatê se baseia em golpes contundentes e traumáticos, que oferecem resistência direta à investida adversária, os praticantes de aikido defendem-se a si próprios a partir do ataque adversário, redirecionando a força e a energia adversárias e usando-as a seu favor. Algo como dizer: ‘Você quer vir? Então venha! Venha! Isso, continue vindo, venha, venha, venha… ih, passou.’

Quando sofremos um impacto emocional, quando sentimos uma emoção negativa como raiva, tristeza, frustração ou ciúmes, também estamos sob ataque. Nosso corpo reage, modificando o ritmo respiratório, fisiológico e batimentos cardíacos. Recebemos uma carga (ou descarga, rsrsrs) de energia. E o que fazemos com ela?

A maioria de nós tende a se controlar, reprimir e comprimir a emoção. O resultado dessa prática é devastador para a nossa saúde e vai se manifestar em nosso ponto fraco, que pode ser físico ou psíquico. Isto é, se temos um estômago sensível, provavelmente desenvolveremos uma gastrite ou úlcera; se o problema é o fígado, teremos dores de cabeça e enxaquecas; quando somatizamos nos intestinos, teremos dor de barriga e viraremos os reis em seus tronos. Por outro lado, se nossa saúde é de ferro, vamos gerar sintomas psíquicos indesejados como a depressão.

Isso acontece porque a energia que detonamos tem que ser usada, direcionada, pois ela não se dissipa sozinha.

Mas o que o karatê e o aikido têm a ver com isso?

Ora, o que descrevi acima ilustra o embate desenvolvido com as técnicas do karatê, resistindo, contra-atacando, reprimindo as emoções.

Para gerar um resultado mais gostoso, mais leve e mais gratificante, precisamos treinar com as técnicas do aikido e aprender a passar a energia negativa adiante, sublimando-a e transformando-a em algo positivo, em trabalho!

Trabalho, aqui, não precisa ser exatamente profissional (mas também pode ser :D). Produções artísticas, culturais, de literatura, poesia, música… são todos bons exemplos da canalização de um impacto emocional. Enfim, o segredo é dar as ‘boas-vindas’ a essa energia que foi despertada e não ficar com ela, não reprimi-la ou jogá-la para o corpo, mas sim usá-la a nosso favor. E, de quebra, nos tornar excelentes atletas, hábeis poetas, artistas primorosos, competentes profissionais… Quem sabe até ganhamos uma graninha extra com essa criativa técnica de sublimação!!!

Há uma aula muito interessante sobre esse assunto no canal abaixo. Se você quiser saber um pouco mais sobre isso, acesse o link:

https://www.youtube.com/watch?v=8E-IVLaGQnI

Anúncios

Um comentário sobre “O Karatê, o Aikido e o Impacto Emocional

  1. Muito interessante o texto! Não é nada fácil filtrarmos e deixarmos passar todas as energias que não vão nos trazer proveito, absorvendo apenas as energias boas e benéficas. Mas, se exercitarmos esta prática todo dia, acho que vamos ficando cada vez melhores até fazermos isto naturalmente. Eu já estou praticando e você?

    Curtir

Deixe aqui o seu comentário :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s