Dias bons.
Crédito da Foto: Tina Zani

Hoje vou fazer uma coisa diferente por aqui.

Quero compartilhar com vocês um texto que não é meu.

Foi publicado há algumas semanas no às nove no meu blog e me fez ter aquela vontade gostosa de ser assim todos os dias, cada momento, todo minutinho da minha vida.

Confesso que ainda estou engatinhando nessa arte. Estou na fase de praticar todos os dias, de tentar criar esse hábito, de fazê-lo se tornar minha rotina mais que gostosa.

Como bem disse a autora, é preciso treino e persistência constantes.

E vários lembretes esparramados pela casa e pela vida.

 

Há uns anos decidi que só me ia focar nos dias bons. Mantenho a mesma decisão até hoje: esteja ou não tudo bem, eu vou ser feliz. Esteja ou não tudo no lugar certo, eu vou ver sempre o lado bom do que e de quem me acontece na vida. Esteja ou não mais perto dos meus sonhos, eu sei que um dia chego lá. Porque quero. Porque me esforço. Porque mereço.
Dito assim, até parece simples manter este compromisso comigo. Dito assim, até parece fácil persistir nesta busca incessante pelo que me faz bem e decidir ser feliz «apesar dos apesares». E não é. Não é simples para mim, não é simples para ninguém. É preciso praticar todos os dias, como uma rotina. Escrever na agenda, na parede, na pele. Até que de uma forma de estar passe a uma forma de ser. A ser vivido como uma rotina, com a mesma naturalidade com que tomamos o banho que nos desperta, o alimento que nos nutre, o caminho que nos leva onde queremos ir, os abraços que nos esperam e regeneram no final de cada dia. Passar a não conseguir respirar sem este compromisso de não nos esquecermos de nós, de mandar calar os ais, os ses, os mas e os talvez, de afastar as nuvens cinzentas, as pessoas assim-assim, o menos mal e o vai-se andando. Passar a manter sempre por perto a alegria do que e de quem nos faz bem. Porque é assim, e só assim, que aprendemos a dar sempre valor às pessoas e às coisas certas que nos acontecem.

E com você, como é? Você é feliz apesar dos pesares? Consegue manter seu foco sempre nas coisas boas?

Anúncios

3 comentários sobre “Dias Bons

    1. Lê, acho que a tristeza e a felicidade não se contradizem. Elas não estão na mesma categoria. Vejo a tristeza como um sentimento que pode vir e ir. A felicidade, no entanto, entendo como uma opção de vida, um estado de ser. Acredito que é possível sermos felizes, embora fiquemos tristes de vez em quando, sem que isso afete a nossa felicidade. O que nos falta é treino para compreender a diferença entre as duas coisas…

      Curtido por 1 pessoa

Deixe aqui o seu comentário :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s