no vento dessa tempestade, vejo seu rosto.

tenho dedos de papel. vermelhos e sem ponta.

quase arranco essa calcinha que me aperta a virilha.

de pé, em frente à porta, deixo o vento virar as folhas do caderno. me arrepio. o céu ficou escuro, vai chover.

Anúncios

Deixe aqui o seu comentário :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s