outono

outono

— silêncio

vento frio na cara no pescoço

pés que não querem sapatos

o corpo  — não quer sair dos lençóis

 

meus olhos lacrimejantes

na roupa seca do varal

 

seco

o ar  — seca

garganta seca

seco

o sol que não (quer) esquenta(r)

 

o corpo

embriagado de ar  — tanto ar —

pra dentro, pra fora —

cresce com a lua

até ficar cheio

e derramar.

*

*

*

então eu

*

me visto de árvore.

 

Tina Zani

 

 

Deixe aqui o seu comentário :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s