Com Gosto de Agosto

Com gosto de agosto.
Crédito da Foto: Tina Zani

 

Já passamos da metade do ano. Agosto acabou de nascer.

2015 está apressado, batendo as asas com força e voando rápido sob o sol e ao sabor do vento.

Já é tempo de aproveitar o impulso e avançar na estrada que nos leva pra onde queremos ir.

Já é tempo de dar o próximo passo e andar nas nuvens e, se as nuvens não nos convêm, é tempo então de mudar de caminho.

Agosto chegou. São 150 dias para o fim do ano.

Já é tempo de pensar bem e deixar um sorriso boiando na face para os olhos brilharem.

É tempo de correr alguns riscos e se apaixonar por nós mesmos; de fazer-nos livre, fazer-nos música, fazer-nos amor.

Agosto já está aqui.

É mais que tempo de mudar a nós pra mudar o mundo. Celebrar a vida que bate no peito, comemorar cada dia que nasce e toda noite imensa. Falar bobagens com amigos, molhar o rosto na chuva, abrir os braços num abraço macio, respirar, recomeçar, levantar.

Esse é o momento, não há outro.

Ontem já foi e amanhã não existe ainda.

Já é hora de viver, de sonhar, de realizar.

Anúncios

Meus Filhos Não São Meus Filhos

Meus Filhos Não São Meus Filhos
Crédito da Foto: Tina Zani

 

 

Como dizia o poeta:

 

‘Vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de vós, mas não de vós.
E embora vivam convosco, não vos pertencem.
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,
Porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
Pois suas almas moram na mansão do amanhã,
Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.
O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força
Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria:
Pois assim como ele ama a flecha que voa,
Ama também o arco que permanece estável.’ Khalil Gibran

Eu sou apenas o ponto de partida. A referencia. O arco.

Eles, o voo, o futuro. A ânsia da vida por si mesma, materializada. A flecha projetada a partir de mim, do meu corpo, do meu amor.

Vão se desenvolver e crescer, longe de mim e de meu olhar cuidadoso, na mansão do amanhã. Terão experiências que eu não conhecerei. Sonhos que nunca sonhei e gostos que não são os meus. Viverão seu próprio estilo de vida e farão as escolhas que só poderiam ser feitas por eles mesmos.

E eu?

Eu vou ser feliz.

Vou confiar na sementinha que plantei em seus corações enquanto eles ainda se aninhavam sob minhas asas mornas e protetoras. Vou admitir, pra mim mesma, que não sou perfeita e que a perfeição é desumana. Vou me ocupar apenas com problemas reais, quando e se eles aparecerem.

Vou ter boas amigas com quem conversar em caso de emergência e não vou fazer questão de saber de tudo.

Não quero ter o controle de suas vidas. Isso cabe a eles.

Vou compreender que a minha felicidade não tem nada a ver com ter filhos ótimos, família linda, casa boa, dinheiro sobrando, trabalho.

Vou conhecer minha essência sem me preocupar com a imagem.

Identificar meus medos e aprender a lidar com eles.

Saber quem eu sou e quem eu não sou.

Parar de controlar. Parar de apertar a boca.

Vou aprender a ser descontrolada.

Sem controle. Sem controlar.

Ser. Simplesmente, ser.

27 de maio de todos os anos

Foto dos meus pais
Foto dos meus pais

 

Hoje é um dia muito especial e eu estou tão, tão feliz!

Estou feliz por estar viva. Feliz por ter uma família querida. Feliz por ter amigos tão especiais. E, novamente, feliz por estar viva e sentir a vida pulsando em meu corpo.

O céu hoje amanheceu mais azul, o sol apareceu mais dourado, o ar está mais fresco e até os ipês cor de rosa floresceram.

Adoro fazer aniversário.

Meus pais devem ter gostado muito quando nasci pois todo ano, nesse mesmo dia, uma alegria enorme transborda de mim para o mundo. Isso só pode ter vindo deles e deve ter ficado gravado nas minhas lembranças inconscientes. Uma deliciosa sensação de ser bem vinda.

Acho que o dia do aniversário tinha que ser bem comprido. Tinha que durar pra sempre.

Me sinto grande. Me sinto expandindo e desabrochando como flor de girassol. Me sinto muito feliz.

Um brinde à vida, ao céu, ao mar, ao amor, aos amigos do coração.

Desejo um dia brilhante e completamente alegre a todos vocês, meus filhinhos queridos, meu marido amado, meus pais e irmãos, meus amigos que tanto estimo.

A Surpresa que Chegou pelo Correio

Foto de Michelle Sun
Foto de Michelle Sun

 

«Não sei o que certas coisas querem dizer, mas sei que são sagradas, e, por isso mesmo, guardo-as como tal. Falo de coisas simples, como o olhar limpo, a verdade pura, o riso claro, a intimidade reta, e respeito fundo. Falo da substância do amor.» Laurinda Alves

 

Hoje de manhã encontrei uma gota de carinho entre as minhas correspondencias.

Um envelope branco, escrito a mão com tinta preta, que veio de longe, lá de além mar, do coração de outrem para encher o meu de ternura e deixá-lo molinho feito gelatina de cereja. Uma surpresa.

Uma foto.

Não uma foto digital, falo de uma foto de verdade. Esta foi batida no dia 9 de março deste ano, revelada, impressa em papel fotográfico de qualidade, acondicionada carinhosamente em um envelope, endereçada e remetida por avião lá da França para a minha casa aqui no Brasil. E com dedicatória.

E o ser humano que desenhou esse girassol no meu peito só esteve comigo uma fração de hora em um único dia frio de março. Nunca havia me visto. Somos quase estranhas uma para a outra, mas ela tirou a foto e, pasme… revelou e enviou.

Quem ainda faz essas coisas hoje em dia? Revelar uma foto em papel… Enviar para alguém via carta…

Ao segurar o envelope, com as pontas dos meus dedos quase toco o cuidado e a atenção que viajaram junto com ele. Esse envelope veio cheio de humanidade e derramou pétalas de vida por todos os meus cantos.

Tantas pessoas passam por nossas vidas sem que notemos… Por tantas vidas passamos sem sermos notados.

Sempre podemos escolher fazer a diferença.

Todos os dias, podemos escolher tornar a vida de alguém ainda mais especial.

Alguém que conhecemos, alguém que não conhecemos, alguém que apenas passou por aqui, ou alguém que sorriu pra foto.

Certas coisas são sagradas. Certas coisas são humanas. Essas coisas, guardo no meu coração.