Quando O ‘Mesmo Assim’ É Essencial.

Por Tina Zani
Por Tina Zani

 

Esperar pelo momento perfeito me faz esperar para sempre.

Enquanto não me der conta de que o momento perfeito é o momento presente, não sairei do lugar. Entenda, estou falando isso para eu mesma ouvir.

A mania de achar que preciso aprender tudo o que não sei antes de começar, ter mais experiência, estudar mais o assunto, se assemelha ao casal que fica na espera de se mudar para uma casa maior para ter um filho; depois, espera a reforma da casa; depois, a poupança para a educação da criança; depois, a troca por um carro maior; depois… nunca vem o filho.

A mania da perfeição me deixa parada no lugar. Não consigo me mover. Não mexo uma palha por puro medo. Medo de fazer errado, de não ser boa o suficiente, de não fazer algo bom. Medo de arriscar.

Meu maior inimigo sou eu mesma. Eu que me observo, me comparo e me julgo. E não experimento.

Para sair de onde estou, tenho que fechar os ouvidos à autocrítica tão a flor da pele e me deixar dissolver por aí nas minhas tentativas de ser eu mesma. Sem me apegar aos defeitos. Simplesmente ser. Simplesmente fazer.

Se der errado na primeira vez, corrijo na segunda, e na terceira, e na quarta…

Se é importante e eu quero, o momento é esse. Mesmo que eu não me sinta totalmente pronta ou não tenha todas as ferramentas necessárias ou não domine completamente o assunto, preciso dar o primeiro passo e continuar caminhando. O primeiro passo é o início da jornada. Os passos seguintes são todos resultados daquele imediatamente anterior e podem ser corrigidos ao longo do caminho, conforme a experiência vai se somando.

Algumas áreas na minha vida ficaram especialmente empacadas por conta do desejo de fazê-las perfeitas (felizmente, isso não aconteceu com relação a ter filhos, rs).

Me conscientizar disso foi o primeiro passo para a liberdade. Mas ainda me pego ponderando sobre minha necessidade de acertar, embora hoje já consiga ir em frente algumas vezes mesmo assim (atente para o ‘algumas vezes’ e o ‘mesmo assim’).

E quando, apesar do medo, consigo abafar o fantasma da perfeição e deixo me acontecer imperfeita e tudo, a mágica acontece e uma chuva de purpurina me pinta de dourado.

Aproveite que você está lendo esse post e pense na sua vida e em tudo o que gostaria de fazer e ainda não começou. Por que? O que o faz não dar o primeiro passo? Quanto tempo ainda vai passar até chegar o momento perfeito? Eu o convido a se juntar a mim… vamos nadar contra a maré. Vamos fazer mesmo assim. Vamos nos dedicar a movimentar o mundo ao nosso redor, de mãos dadas.

A perfeição não existe.

 

 

 

Anúncios