Meus Filhos Não São Meus Filhos

Meus Filhos Não São Meus Filhos
Crédito da Foto: Tina Zani

 

 

Como dizia o poeta:

 

‘Vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de vós, mas não de vós.
E embora vivam convosco, não vos pertencem.
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,
Porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
Pois suas almas moram na mansão do amanhã,
Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.
O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força
Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria:
Pois assim como ele ama a flecha que voa,
Ama também o arco que permanece estável.’ Khalil Gibran

Eu sou apenas o ponto de partida. A referencia. O arco.

Eles, o voo, o futuro. A ânsia da vida por si mesma, materializada. A flecha projetada a partir de mim, do meu corpo, do meu amor.

Vão se desenvolver e crescer, longe de mim e de meu olhar cuidadoso, na mansão do amanhã. Terão experiências que eu não conhecerei. Sonhos que nunca sonhei e gostos que não são os meus. Viverão seu próprio estilo de vida e farão as escolhas que só poderiam ser feitas por eles mesmos.

E eu?

Eu vou ser feliz.

Vou confiar na sementinha que plantei em seus corações enquanto eles ainda se aninhavam sob minhas asas mornas e protetoras. Vou admitir, pra mim mesma, que não sou perfeita e que a perfeição é desumana. Vou me ocupar apenas com problemas reais, quando e se eles aparecerem.

Vou ter boas amigas com quem conversar em caso de emergência e não vou fazer questão de saber de tudo.

Não quero ter o controle de suas vidas. Isso cabe a eles.

Vou compreender que a minha felicidade não tem nada a ver com ter filhos ótimos, família linda, casa boa, dinheiro sobrando, trabalho.

Vou conhecer minha essência sem me preocupar com a imagem.

Identificar meus medos e aprender a lidar com eles.

Saber quem eu sou e quem eu não sou.

Parar de controlar. Parar de apertar a boca.

Vou aprender a ser descontrolada.

Sem controle. Sem controlar.

Ser. Simplesmente, ser.