Oooops! Imprevisto…

Foto de Sabrina Zani
Foto de Sabrina Zani

 

Como contei em outro post, passamos as férias inteiras em Campinas. Meu filhos mais novos com os primos na casa dos meus pais e eu e o Maurício em casa.

Ontem saímos de viagem de carro com destino a Cabo Frio, no Rio de Janeiro.

Porque a viagem é longa, planejamos uma pernoite em Penedo na ida e outra em Niterói na volta. Em Niterói, aproveitaremos para juntar o útil ao agradável e traremos meu filho mais velho de volta até Campinas, para mais alguns dias conosco.

Arrumamos as malas no domingo a noite para sair na manhã do dia seguinte, sem pressa nem correria, já aproveitando o clima gostoso de viagem de férias.

Viajamos na boa, almoçamos na Dutra e chegamos a Penedo por volta das 16h.

A pousada que escolhemos é gostosa e, assim que nos instalamos, começamos a descarregar o carro.

Foi aí que descobri o tal do imprevisto.

Meu filho, com aquele jeito todo engraçado de falar que só ele tem, veio me contar.

_Cris, (ele gosta de me chamar assim) sabe o que é… é que eu acho que temos um pequeno probleminha. É que eu esqueci a minha mala.

_Han? Hahahahaha como assim filho?

_Minha mala, ficou lá em Campinas.

_Hahahahaha cê tá brincando! Hahahahaha sério? Hahahaha como assim? Hahahahahaha cadê sua mala? Hahahaha

Tá, vocês podem não concordar comigo, mas eu morri de rir. Chorei de rir. Me escangalhei de tanto rir. Achei mega blaster engraçado. De verdade. Fazia tempo que eu não chorava de tanto rir. Foi muito divertido. Eu nem conseguia falar, só rir. Foi o máximo.

Imagine só a situação. Você sai de viagem para ficar fora uma semana inteira e só leva a roupa do corpo + um agasalho na mochila, que está cheia de gadgets e carregadores.

E… esquece a mala com todo o resto.

Eu ri. E ri. E ri mais ainda. E achei que as férias tinham começado muito bem. Primeiro dia, primeira parada, e já divertida.

Eu não gosto de imprevistos. Lembram-se? Eu sou aquela que está tentando não querer ser perfeita. Tentando. Abomino imprevisto e tudo o que sai do meu controle. Mas adorei essa situação e me escangalhei.

E amei ainda mais o meu filho.

Por ele não ser perfeito (graças a Deus). Por me contar de um jeito engraçado. Por me fazer rir tanto assim.

Que bom que ele está em minha vida.

P.S: Logo depois, saímos para dar um passeio e ele resolveu o problema. Comprou 2 cuecas, 1 sunga e uma camiseta. Com o dinheiro dele.

 

Anúncios