Os 10 Passos Para a Prosperidade e Porque Você Deve Praticá-los Diariamente

Os 10 Passos Para a Prosperidade
Crédito da Foto: Sabrina Zani

 

 

Quando a alma está feliz, a prosperidade cresce, a saúde melhora, as amizades aumentam, o mundo fica de bem com você. O mundo exterior reflete o universo interior. – Mahatma Gandhi

 

É muito comum relacionarmos a prosperidade com a quantidade de dinheiro disponível que temos. Achamos que ser próspero se resume a ter dinheiro sobrando pra satisfazer nossos desejos materiais e proporcionar abundância de bens. Confundimos a prosperidade com o sucesso financeiro e o acúmulo de coisas.

Por causa disso, trabalhamos incansavelmente, damos duro, ralamos e contamos nosso dinheirinho suado fazendo malabarismos pra pagar as contas e ainda sobrar um trocado pra chamar de seu. Passamos os dias a contar as horas para o dia acabar. Acordamos na segunda-feira em contagem regressiva pra sexta chegar. Os meses passam enquanto esperamos as férias chegarem. E a vida escorrega entre os dedos enquanto sonhamos com o momento em que nos aposentaremos e… viveremos, enfim.

No entanto, a essência da prosperidade é muito mais ampla – e simples – do que a pura coleção de bens materiais.

Prosperidade refere-se muito mais à qualidade do que à quantidade. Ela é, na verdade, a consequência de nos sentirmos felizes, cheios de contentamento e afortunados. Sim, é isso mesmo. A prosperidade relaciona-se com o nosso sentir, sentir na alma que o mundo tem um lugar para nós.

É claro que ter sucesso financeiro e viver a vida com conforto fazem parte de ser próspero, mas isso representa apenas um único setor dos 8 que devem estar em equilíbrio pra que a prosperidade realmente aconteça. Por exemplo, pra que serve uma casa legal e cheia de riqueza se nossas emoções andam descontroladas e, no lugar de atrair amigos sinceros, eles fogem de nós e  nossa vida social vira um fiasco? Não adianta ter dinheiro se nossa saúde é cheia de problemas ou se o trabalho é um tédio e morremos um pouco a cada dia para realizá-lo. Ou, ainda, se nossa família é complicada e cheia de rancores, a afetividade está a zero e nossas virtudes ficaram esquecidas.

Pra atrair dinheiro, ter uma saúde de ferro, trabalhar em algo que nos dê prazer genuíno, manter nossas emoções em equilíbrio, ver nossas virtudes exacerbadas, ter bons amigos, um relacionamento afetivo delicioso e uma família feliz precisamos estar conscientes e trabalhar incansavelmente nos…

10 Passos Para a Prosperidade

Eles são a base, a estrutura sobre a qual nosso crescimento, nosso progresso e nosso sucesso são alicerçados. Se a base é frágil, vai ceder ao primeiro sinal de pressão. Mas se é forte e sólida, vai oferecer de volta o empuxo que nos levará pra cima, sempre evoluindo na direção da felicidade e, consequentemente, da prosperidade em todos os níveis.

Então, vamos a eles:

#1: Conheça-se bem.

O autoconhecimento é a chave que abre os melhores caminhos. Podemos seguir na vida sem essa chave mas, certamente, faremos escolhas superficiais que dificilmente nos levarão aonde queremos chegar simplesmente porque, justamente, sem ela não saberemos nem mesmo aonde queremos ir.

O caminho do autoconhecimento é saboroso e nos coloca em contato com a nossa essência, com o que temos de único e, por isso mesmo, de mais valioso. Nenhuma outra pessoa no mundo tem a combinação de defeitos e qualidades que existe em nós.

Para ajudar a se conhecer melhor, comece respondendo a duas perguntas Quem eu sou? & Quem eu não sou? 

Se estiver muito complicado definir exatamente quem você é, defina quem você não é. Observe-se durante alguns dias nas mais variadas situações – agradáveis e desagradáveis – e procure identificar as emoções por trás das suas reações e atitudes. Se a emoção identificada for positiva, encare-a como um bom indício de quem você é e, se for negativa, de quem você não é. Pense em termos de qualidades e defeitos e lembre-se: o que é da essência sempre nos faz feliz.

#2: Conheça o outro também.

Nossos relacionamentos com outros seres humanos envolvem o que é conhecido como projeção de personalidade.

Atraímos pessoas opostas a nós quando o oposto tem algo em sua personalidade que nós não temos na nossa, mas gostaríamos de ter. Da mesma forma, atraímos alguém semelhante a nós porque admiramos no outro tudo o que mais amamos em nós mesmos. Ou seja, todos os relacionamentos que temos com os outros são, na verdade, sobre nós mesmos.

Por isso é tão importante conhecer o outro.

Criticamos as pessoas de nosso convívio e seus comportamentos ou porque elas são parecidas conosco – têm os mesmos defeitos – ou porque são nosso oposto completo.

No primeiro caso, quando a pessoa em questão tem qualidades e defeitos semelhantes aos nossos, o  conflito existe porque a essência é a mesma, mas o grau de elaboração é diferente.

Um defeito é algo que ainda não foi feito, é a matéria prima antes de ser elaborada. Todos os defeitos são virtudes em potencial, ou seja, a virtude nasce de um defeito bem trabalhado.

O conhecimento do outro nos dá ferramentas para perceber como o mundo nos reflete, pois nossa energia gera uma tendência de comportamento das outras pessoas para conosco: a simpatia nasce da atração, a antipatia nasce da repulsa e a empatia nasce da simples identificação, sem atração ou repulsa.

#3: Reprograme suas emoções e corte os laços com o passado.

Nascemos pra nós mesmos e ninguém mais. Talvez escolhamos ter família e filhos, mas em nenhum momento podemos permitir que isso anule nossa missão de vida e substitua nossa condição de ser.

Não somos nossa família, não somos cônjuges, não somos pais. Essas são todas condições passageiras que adquirimos por opção e que vêm contribuir com nosso desenvolvimento e crescimento pessoais, mas não são o motivo pelo qual estamos vivos.

Nossa felicidade não tem nada a ver com ter filhos perfeitos, família linda, casa boa e dinheiro no banco e sim com nós mesmos.

Somos mais felizes quando conseguimos perdoar os outros por não terem sido perfeitos conosco e a nós mesmos por nossos erros do passado. Afinal, tudo isso contribuiu para sermos quem somos hoje.

O perdão e o auto perdão nos dão a possibilidade de recomeçar. Quando eles acontecem, desfazemos as amarras emocionais com o passado. O resultado disso? Uma profunda sensação de liberdade!

#4: Pare de gastar energia com o que já passou.

Sabe aquelas situações e pessoas com as quais queremos romper o fluxo de energia?

Quando há um desconforto ou incômodo em relação a alguém ou situação de um passado distante ou imediato, há uma ponte de energia fluindo a partir de nós que sustenta essa ligação perniciosa.

Quanto mais energia dedicarmos a isso, mais larga a ponte se torna e mais energia vai nos roubar pra sustentá-la em pé.

Pra acabar com isso é preciso reinventar nosso relacionamento com a pessoa ou situação em questão. E isso se consegue através de nosso próprio comportamento.

Algumas boas ideias são:

  • parar de contar demais sobre nossas vidas (incluindo as mídias sociais);
  • limitar nossa convivência com pessoas difíceis ao tempo que conseguimos nos manter bem e em equilíbrio;
  • escolher os assuntos sobre os quais não queremos conversar e sobre os quais queremos falar e nos atermos só a esses últimose
  • quando necessário, simplesmente partir pra outra e jogar a bola pra frente, sem pensar mais no que passou.

#5: Tenha um objetivo de vida e metas claras.

Um objetivo de vida é um sonho, um prazer, uma vontade que trazemos dentro do peito. Quando o definimos, ele funciona como um ponto de atração da prosperidade.

Temos dificuldade em identificar nossos objetivos – ou missão – de vida quando estamos aprisionados às nossas funções diárias. As funções diárias escoam nossa energia ralo abaixo porque fazemos delas o nosso motivo de viver. Colocamo-as em primeiro plano. Gastamos tanta energia com as coisas que têm que ser feitas, as coisas urgentes, que não sobra nada pras que são importantes.

Nossa energia deve estar sempre focada no presente.

A pegadinha se encontra exatamente quando decidimos que queremos fazer algo diferente. Diferente de que? Ora, diferente do que sempre fizemos no passado! E lá vai de novo a energia passado abaixo, nos conectando com o que já se foi.

Perdoem-me os mais recatados, mas que se dane tudo o que fizemos e quisemos antes pois isso não tem grande importância agora.

Agora, vamos fazer o que amamos e amar o que fazemos. Nossos sonhos não têm limite, nem prazo.

#6: Use sua criatividade pra visualizar e sonhar com o que te faz feliz.

Quando nos motivamos com um sonho, objetivo, plano ou missão, a energia que geramos muda nossa vibração e as coisas começam a acontecer.

Portanto, pergunte-se:

  • o que eu faço por mim?
  • o que a minha alma quer?
  • qual é o meu sonho mais autêntico?
  • eu tenho um trabalho que amo?
  • eu tenho um relacionamento amoroso feliz?
  • o que eu quero fazer das minhas virtudes?

É natural querer direcionar nossa energia pra criar e conquistar novas experiências. O que não é natural é viver pensando em não perder coisas.

A visualização criativa está relacionada com o que é conhecido como lei do merecimento, ou seja, com o que eu sinto que mereço. Ao visualizar nossos sonhos, devemos deixar fluir em nosso corpo a sensação real da conquista. Todos nós, em nossa trajetória de vida, certamente já vivenciamos um momento de superação e de vitória sobre algo que queríamos muito. É esse sentimento que invadiu nosso coração naquela hora – uma mistura de prazer, felicidade e expansão – que temos que trazer pra nossa visualização criativa.

E, super importante: sempre que fizermos a visualização, devemos estar prontos pra receber tudo agora mesmo e não em um momento futuro, pois as mudanças só acontecem no momento presente. Toda mudança adiada é colocada pra nunca.

O tempo é uma coisa criada. Dizer ‘Eu não tenho tempo’, é o mesmo que dizer, ‘Eu não quero’. – Lao Tsé

Isso nos leva ao próximo passo:

#7: Ponha energia e foco em sua visualização.

Toda visualização criativa evapora energias, que são formas-pensamento. Essas formas-pensamento se condensam formando nuvens brancas que vão se tornando mais densas até se cristalizarem e voltarem pra nós na forma de realizações.

Quanto mais concentrarmos nossos pensamentos, desejos, sentimentos e emoções em nosso sonho ou objetivo através da visualização criativa, mais rápido eles se cristalizarão e se tornarão reais.

Ao visualizar, deixe a certeza tomar conta de si. Não tenha nenhuma dúvida de que vai dar certo, porque vai! Sinta que já é verdade, que já está acontecendo, mesmo que ainda esteja em processo. Enxergue a árvore que a sementinha já carrega em si. Busque a calma e a serenidade de quem já tem, de quem compreende o processo. Quando ficamos em dúvida sobre qualquer coisa, emanamos uma sensação de medo, preocupação, tensão, angústia e ansiedade que dão a impressão de que queremos algo que não acreditamos merecer. E…

Quer você acredite que pode, quer você acredite que não pode, você estará certo. – Henry Ford

Estamos sempre certos.

A canalização de energia vai potencializar nosso desejo.

#8: Tome uma atitude.

A ação é o que nos aproxima de nossos sonhos.

Criar um link entre a nuvem e o mundo físico é necessário pra que o desejo se cristalize em realidade.

O sonho vem primeiro. Ele não tem limites, precisa de encanto. É nele que colocamos as coisas da alma, mesmo que pareçam impossíveis de acontecer. Tudo bem, é um sonho! Ao sonhar, permita-se entrar em uma dimensão paralela e não tenha medo de parecer louco.

A partir do sonho, criamos os movimentos que nos levarão mais perto de concretizá-lo. Tomamos atitudes, agimos no mundo físico. É aqui que vamos fazer as coisas acontecerem.

É hora de arregaçar as mangas e colocar mãos à obra!

#9: Entregue, descontraia e distraia-se.

Esse é o momento em que a maioria de nós se atrapalha.

Tendemos a achar que temos que estar o tempo todo nos certificando de que as coisas estão acontecendo. Temos um senso de imediatismo que acaba matando e enterrando todo o trabalho feito até aqui.

A entrega consiste em confiar. Confiar que vai dar certo. Confiar na vida e em suas leis. Permitir que o universo trabalhe a nosso favor.

Afinal, se pusemos em prática os 8 passos anteriores pra chegar até aqui, então a sementinha já está plantada em terra boa. O que fazemos agora? Cuidamos, regamos, protegemos das pragas, adubamos se necessário e aguardamos a natureza desempenhar o seu papel.

Se cutucamos o solo pra ver por que o brotinho não apareceu no dia seguinte, corremos o risco de matá-lo enquanto se desenvolve dentro da terra.

Então, respire e relaxe. Deixe a ansiedade ir embora com a água do banho.

#10: Seja grato.

Praticar a gratidão é entrar no estado de graça, é sentir que tudo na vida pode vir até nós de graça.

Não precisamos nos sentir devedores e nem sofrer pra conseguir as coisas que queremos. Podemos, mas não precisamos. Isso é uma invenção da sociedade.

A primeira coisa que recebemos nessa vida é o corpo que temos. E ele vem pra nós de graça, não pagamos nada por ele.

Observe uma mãezinha grávida. Pense no bebê que ela carrega em seu barrigão. Ele ganhou um corpo só pra ele, também um útero que o protege e alimento pra nutri-lo. Por quanto? Por nada.

Ele nasce e sua mãe lhe oferece amor e cuidados, lhe amamenta, lhe alimenta, lhe veste… Por quanto? Por nada.

Daí, um dia, ele cresce e lhe dizem que na vida nada é de graça. Que ele tem que rachar de estudar, que dinheiro não dá em árvore, que ele tem que trabalhar como um camelo e dar duro pra ser alguém.

Pra ser alguém? E o que ele era antes?

Ou entramos no fluxo da graça, em que as coisas chegam até nós porque já são nossas mesmo antes de nascermos, ou vamos sempre pagar caro pela vida. Trata-se de uma escolha e a escolha é nossa.

Quando estamos no nível humano, vivemos a energia das coisas esgotáveis, que nos ilude e nos manipula. Mas a energia do Universo não é essa.

Conecte sua mente com a energia do Universo, que é abundante, graciosa e inesgotável.

O que é melhor, vivenciar a culpa, a dívida e o esforço ou a abundância, a fartura e a graça da vida?

Enfim…

Aplique os 10 passos e veja os resultados aparecerem. Inclusive financeiros!

Saiba quem você é e quem você não é, conheça as qualidades e defeitos das pessoas que você atrai, reprograme as suas emoções e pare de se culpar pelas coisas que fez ou que não fez.

Eleve pessoas e situações desagradáveis pra outro nível de relacionamento, defina seus objetivos, escolha sua missão de vida, visualize a conquista de seus sonhos, concentre sua atenção no que você quer pra si, tome as atitudes necessárias, confie e espere.

O bom da vida é de graça.

 

 

Anúncios

Pronta Pra Voar

Foto de Tina Zani
Foto de Tina Zani

 

Ontem, uma amiga me apresentou a Marcia de Moraes e, sem saber, me entregou o céu para voar.

A Marcia de Moraes é uma artista contemporânea que trabalha com lápis de cor e grafite sobre papel.

Faz uns 3 anos que eu estou tentando entender e me expressar na aquarela, um meio que me encanta, mas que não me entende.

Desde adolescente, o que sempre me seduziu foi o lápis sobre papel. Havia noites em que não dormia pra ficar desenhando. Era como se uma força infinita me impulsionasse e eu tinha que desenhar.

Ontem senti isso outra vez.

Senti minhas asas quebradas se prepararem para voar de novo.

Senti um calor redondo subindo pela espinha.

Senti que o céu é meu. Todinho.

Obrigada, amiga.

Libertar e Pertencer

Foto de Tina Zani
Foto de Tina Zani

 

Esse mês de abril faz um ano que tomei a difícil e dolorosa decisão de sair do Método.

E eu ainda me sinto perdida na vida, desnorteada, sem saber direito para onde rumar. Não é ridículo?

No começo da semana eu estava conversando sobre isso com a minha amiga Valéria.

Estou recém saída de uma dengue que me deixou derrubada e realmente dengosa. E, durante o tempo em que fiquei doente, pensei muito sobre mim e percebi que não está bom. Não está bom e eu não estou bem.

Quem sou eu afinal? Como eu sou? Do que eu gosto? O que eu quero? Para onde eu vou? O que vou fazer da minha vida?

É engraçado me fazer essas perguntas agora, pois há exatamente um ano atrás eu estava tão, mas tão certa do que queria! Era tudo tão claro, tão real. Eu sabia direitinho quem eu era e a que viera.

E agora, a essa altura do campeonato, às vésperas de completar 45 anos, sinto-me desmoronada. E cansada.

Cansada de tentar e tentar e tentar e tentar…

Cansada de me sentir solitária, incompreendida, peixe fora d’água. Será que dá pra me sentir parte de um todo? Será que dá pra me ver refletir nos cantos da vida de alguém mais além de mim mesma? Será que tem mais alguém aí?

Sinto ganas de me libertar de algo que nem sei explicar o que é. Me libertar de mim mesma, talvez. Mas também quero pertencer. É um paradoxo muito louco.

A Vá me falou de um curso que ela começou a fazer. Em nossa conversa, concluímos que eu preciso aprender a me aceitar e a me perdoar. Eu quero.

Vou fazer o curso que ela falou. Acho que vai ser muito bom.

 

Todo Dia Nasce Novo Em Cada Amanhecer

Foto de Tina Zani
Foto de Tina Zani

 

Sou uma grande fã das resoluções de ano novo. Adoro pegar papel e caneta e divagar, imaginando a vida maravilhosa que farei acontecer com minhas novas atitudes. Escrevo tudo em forma de lista, desde o tamanho de cabelo que vou ter até os sonhos que vou realizar. É o momento gostoso de me deixar fluir de dentro para fora, sem barreiras nem censura, sem me preocupar com mais nada. É a própria liberdade em forma de escrita mágica.

E depois, no final do ano, é ainda mais gostoso olhar para o que planejei e ver o quanto consegui conquistar.

Este ano arrumei um caderno especial para isso, o meu Caderno de Planos. Ele é lindo. E já consigo vê-lo, daqui a alguns anos, recheado de minhas melhores intenções. Ahhhh…

Até pouco tempo atrás, era só isso mesmo o que eu fazia. Uma lista com maravilhosas intenções para o ano seguinte, que ficava guardada durante 365 dias para mostrar as caras de novo só em 31/12 e ticar minhas realizações. E, por incrível que pareça, mesmo assim algumas delas realmente aconteciam. As maiores e mais importantes, no entanto, acabavam ficando pela metade ou totalmente esquecidas.

Aprendi com os anos que sonhos, ideias e planos, para virarem realizações de sucesso, precisam vir acompanhados de atitudes. E, embora esse devaneio de escrever minhas cores me fascine e alimente, gosto muito mais de vê-las pintando meu dia-a-dia do que simplesmente mantê-las anotadas num lindo caderno só para conferi-las depois.

Por isso, quando outro dia me deparei com o post da Mandi no LifeYourWay, percebi que o que quero para mim neste ano de 2015 é que me sinta iniciando um novo ano a cada amanhecer. Que esse entusiasmo de poder mudar o que não está bom, de criar atitudes, adquirir novos hábitos, me reinventar, reviva em mim a cada novo dia e não a cada novo ano. Não preciso esperar o ano todo para olhar para trás e só então mudar. Posso fazer isso todas as manhãs. A cada semana. No final de cada mês. E, finalmente, chegarei ao final do ano com a certeza de que olhei para minha vida e para as minhas escolhas todos os dias; que escolhi de verdade os meus caminhos.

E, embora eu continue fazendo minha lista de metas e sonhos em um caderno lindo, meu maior objetivo para esse ano é reservar um momento todas as noites e olhar para o dia que se acaba. Abrir o Caderno de Planos e ver o quanto do que fiz nas últimas 24h colaborou para que eu pinte minha vida com as cores que escolhi e planejar o dia seguinte com carinho, modificando a paleta quando necessário.

Tenho certeza que assim, um dia de cada vez, vou criar a vida que eu quero viver.

O que você acha disso? Quero ouvir suas dicas e experiências a respeito das resoluções de ano novo, de fazer sonhos virarem realidade, de como e com que frequencia se autoavaliar. Compartilhe comigo os seus pensamentos.