A Vítima Não Sou Eu

A vítima não sou eu.
Crédito da Foto: Tina Zani

 

Aqui está a linha: ___________________________

Acima da linha está a leoa, rugindo com firmeza o som rouco que vem das entranhas.

Poderosa, ela exerce o domínio sobre sua própria vida, aceita e assume a responsabilidade por seus sucessos e seus fracassos. Caça, abre caminhos, corre, protege, enfrenta, rola, se enrola, procura, defende, faz as coisas acontecerem e assume as consequências de seus atos ou omissões.

Abaixo da linha está a vítima, indefesa, choramingando e reclamando da vida.

Coitadinha, acha que a culpa de sua infelicidade e de seus problemas é sempre dos outros, encontra desculpas esfarrapadas para suas falhas e fracassos e nunca assume as rédeas de sua própria vida.

A vítima está sempre entregue.

Sempre fraquinha. Sempre amassada, pisada, mordida.

Posso escolher ser a leoa ou a vítima.

Agora, a pergunta que não quer calar… Neste momento, onde eu estou, acima ou abaixo da linha?

Anúncios